Saúde

Learn more about our departments

Balão Intragástrico

Trata-se de um dispositivo colocado no interior do estômago com intuito de diminuir a ingestão alimentar ao proporcionar saciedade precoce. Consiste em um balão de silicone com válvula lisa, e catéter de introdução, o qual será preenchido com solução salina e azul de metileno estéreis (400 a 700ml). É um dispositivo seguro e eficaz para redução de peso, podendo permanecer até 6 meses no estômago, quando então deve ser retirado.


Colelitíase

Colelitíase, ou pedra na vesícula, é a presença de cálculos na vesícula biliar. Esses cristais ou cálculos podem ocorrer em diversas porções do trato biliar, como no ducto colédoco (causando coledocolitíase) e na vesícula biliar. Os cristais podem obstruir o trato biliar, causando icterícia, e o ducto pancreático, levando à pancreatite. A colelitíase se trata especificamente da formação desses cristais na vesícula biliar.


Hérnias da parede abdominal

As hérnias da parede abdominal ocorrem quando parte de um órgão intra-abdominal se desloca através de um defeito na parede abdominal. O órgão de maior incidência é o intestino. Na maioria dos casos, a doença tem evolução progressiva e benigna, podendo ser tratada com cirurgia eletiva (agendada). A complicação mais grave das hérnias é chamada estrangulamento. Este ocorre quando o conteúdo herniado fica preso, podendo sofrer torção, com consequente comprometimento de seu suprimento sanguíneo e obstrução. Neste caso, os sintomas mais frequentes são: dor abdominal, cólicas abdominais e a dificuldade para eliminar gases e fezes.


H. pylori

Helicobacter pylori é uma espécie de bactéria que infecta a mucosa do estômago humano. Muitas úlceras pépticas e alguns tipos de gastrites do estômago são causados pela infecção do H. pylori, apesar da maioria dos humanos infectados nunca chegar a manifestar qualquer tipo de sintomatologia e/ou complicação relacionados com a bactéria. Estas bactérias vivem quase exclusivamente no estômago humano e duodeno, sendo o único organismo conhecido capaz de colonizar esse ambiente muito ácido, em parte pela sua capacidade de secretar urease, que transforma a ureia presente no ácido gástrico em amônia, elevando o pH ao redor da bactéria e possibilitando sua colonização. As bactérias têm formato de hélice (daí o nome helicobacter) e a forma espiralada permite-lhes “atravessar” com mais facilidade a camada de muco que protege o epitélio gástrico.


Doença do Refluxo Gastresofágico

A doença do refluxo gastresofágico (DRGE), mais popularmente chamada de “refluxo”, é uma das doenças mais frequentes na prática médica, sendo a afecção orgânica mais comum do tubo digestivo. Consiste no retorno de conteúdo do estômago para o esôfago, podendo causar uma variedade de sintomas, sendo os mais comuns a azia e a regurgitação.